Últimas Notícias

Publicidade

Baturité

Outras Opções

Caio Prado

20 de março de 2012

21 de março dia internacional da síndrome de down

   No Dia Internacional da Síndrome de Down há o que comemorar. Pessoas com a deficiência têm mais empregos, porém a falta de informação impede que o número de postos creça Muitas empresas, grandes e de pequeno porte já contratam colaboradores com deficiência para trabalhar. Entretanto, muito mais gente poderia ter um emprego se houvesse mais pesquisa e conhecimento das reais capacidades de pessoas que têm a síndrome.
   De acordo com o nível de deficiência intelectual, o portador da síndrome é possível que possa desempenhar funções muito mais interessantes”, explicou Patricia Cereguin, supervisora de tecnologia Assistida e Acessibilidade da Avape (Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência). Para reverter esse quadro a Avape realiza trabalhos voltados para a qualificação de pessoas com Síndrome de Down e outras deficiências. São feitas oficinas de trabalho na quais são simuladas as rotinas de uma empresa. O objetivo é trabalhar a responsabilidade, pontualidade e desenvolvimento profissional. Além de dar a qualificação, a entidade dá capacitação e todas as informações necessárias para a empregadora. É feita também uma análise da posição que está sendo disponibilizada para saber se as habilidades da pessoa é compatível com a função. Além disso, é feito um acompanhamento pós contratação para identificar como está sendo o desenvolvimento.
   Igualdade /Para a secretária de Direitos da Pessoa com Deficiência de São Caetano, Lilian Fernandes, ainda há uma preocupação financeira dos empresários na hora de contratar. “Primeiro pensam onde é que podem colocar essa pessoa para trabalhar. Qual posição não será preciso gastar em equipamentos ou para qual cargo posso contratar sem ter que fazer nenhuma reforma? É isso que pensam. 
   O grosso das contratações de pessoas com deficiências é para subempregos”, disse. Oportunidade de aprender e projetar o futuro Integrantes de programa da Avape se qualificam e traçam metas para o futuro; jovens que antes apenas ficavam em casa, agora têm ocupação Tamires Regina dos Santos, de 19 anos, ficava apenas em casa até pouco tempo atrás. A rotina, contudo, mudou depois que entrou para o Programa de Reabilitação Profissional da Avape. Na entidade já aprendeu a atuar na área financeira e fez cursos de auxiliar administrativo e telemarketing. “Depois que comecei a estudar aqui melhorei o relacionamento com a minha mãe e fiquei mais calma. Antes ficava em casa sem fazer nada e acabava nervosa. Agora quero estudar inglês, espanhol e italiano. 
   O mais legal é a convivência com os amigos daqui.” O amigo inseparável de Tamires, Matheus Neves Ramos, de 21 anos, apesar de fazer tratamento na Avape desde pequeno, ficava a maior parte do tempo vendo novelas em casa. Agora, porém, quer aprender a trabalhar porque “quer ganhar muito dinheiro para casar e ter filhos”. “Gosto de ficar montando os kits da linha de produção.      É legal também ficar contando os parafusos bem pequenininhos”, contou. Marina Virginio da Silva, de 17 anos, que também faz o programa, contou que conseguiu se adaptar aos trabalhos e que antes tinha medo até de falar. “Eu era muito tímida e não falava nada. Gosto de conhecer coisas novas e agora a minha indecisão é com o que vou fazer no futuro. Não sei se viro cantora ou advogada. 
   Preciso me encontrar, mas estou aprendendo muito.” Educação básica No ABCD todas as crianças com Síndrome de Down ou outras deficiências intelectuais podem estudar no ensino regular, tanto pré-escola , como educação infantil. Atualmente, 233 alunos que possuem a síndrome estão matriculados.        As prefeituras informaram que os professores são qualificados. 1 em cada 600 bebês nascidos no país têm a síndrome O que é? A Síndrome de Down é definida como acidente genético causado pela alteração de um dos pares de cromossomos da célula humana, o de número 21. É a forma mais comum de deficiência mental congênita. 
   Nos primeiros anos de vida, a criança deve ser estimulada por fisioterapia, fonoaudiologia e educação especial.

Imagens de Posts Relacionados a Itapiúna

 
Copyright © 2013 Itapiúna Informa - Você Sempre Bem Informado!
Site Desenvolvido Por Foto e Art Oliveira